Trabalho integrado entre as polícias provocam queda da criminalidade em Goiás

O secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Edson Costa, apresentou nesta sexta-feira (03/02), durante entrevista coletiva no auditório da SSPAP, o relatório de ocorrências do mês de janeiro deste ano. Todos os 12 indicadores de criminalidade monitorados apresentaram queda em Goiás, fato que não era registrado desde 2011, quando a metodologia de acompanhamento foi instituída. No estado, homicídios regrediram 21,2%, enquanto estupros caíram 29,6%. As tentativas de homicídios baixaram em 33,3%, ao passo que os latrocínios despencaram 52,9%. De acordo com os dados, houve queda, ainda, em todas as modalidades de furtos e roubos.

Roubos de veículos caíram 39,3%, roubos em comércios (-40,3%), roubos em residências (-41,7%) e roubos a transeuntes (-23,6%). Os furtos de veículos diminuíram 32%, e os furtos em comércios (-20,3%). Furtos em residências e a transeuntes retrocederam 2% e 19,8%, respectivamente.

Estiveram presentes o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves, o diretor geral da Polícia Civil, delegado Álvaro Cássio, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Carlos Helbingen Júnior, o superintendente executivo de Administração Penitenciária, Coronel Victor Dragalzew, a superintendente da Polícia Técnico-Científica, Rejane Barcelos, o superintendente de Inteligência Integrada, Danilo Fabiano e o superintendente de Ações e Operações Integradas, Emanuel Henrique.

O secretário Edson Costa Araújo, credita a redução nas taxas de crimes de alta prioridade aos esforços desenvolvidos pelas forças policiais que atuam no Estado. “As diversas ações empreendidas de modo planejado e integrado trazem resultados positivos para o setor”, disse.

Ele cita o plano estratégico do vice-governador José Eliton, que comandou a pasta em 2016. “Ele inaugurou uma nova maneira de planejar e executar as ações de segurança pública, com foco na integração das forças policiais e nos serviços de inteligência de cada corporação para uma maior efetividade no planejamento e na operacionalização da segurança na capital e no interior”.

Na apresentação, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves ressaltou que a corporação intensificou o policiamento em todo o Estado. “Só de prisões em flagrante, foram 506. Estamos lutando para inibir cada dia mais a criminalidade”, afirma. O delegado-geral da Polícia Civil, Álvaro Cássio, também lembrou que a PC tem atuado de forma cada vez mais incisiva e citou as diversas operações em curso. A taxa de recuperação de veículos, por exemplo, é superior a 70%.

Ao mesmo tempo em que intensificou as ações ostensivas, com a presença das forças policiais nas ruas, a SSPAP investiu em infraestrutura, equipamentos e viaturas, armamentos e munições para fortalecer as forças de segurança. Apostou em tecnologia e em inovação, consolidando a maior rede de dados da região no que se transformou na Agência de Inteligência do Estado de Goiás. “Tudo isso, aliado à determinação dos integrantes das forças policiais, resulta em melhoria nos serviços prestados à população”, diz o secretário.

A política de integração proposta pelo vice-governador José Eliton extrapolou os limites do estado e agregou várias unidades da federação no Pacto Integrador de Segurança Interestadual, com vistas ao combate do crime organizado para o tráfico de drogas e armas, roubo de carros e cargas e os assaltos a instituições financeiras. O Pacto levou para o âmbito nacional o debate de questões cruciais da segurança, como a reformulação do sistema penitenciário, mudanças nas leis penais e processuais penais, e a criação de um ministério próprio para a segurança pública e administração penitenciária.

Homicídios

As ações ostensivas realizadas de forma permanente na capital produziram forte impacto na luta contra a criminalidade. Em janeiro, os homicídios caíram 50% e as tentativas de homicídio tiveram baixa de 53,9%. Os roubos de veículos caíram 52,3%, roubos em residências (-46,1%), roubos a transeuntes (-25,2%). Os furtos de veículos lideraram a queda nessa categoria com declínio, de 46,7%. Em seguida, aparecem furtos em comércio (-27,3%), transeuntes (-20,2%) e furtos em residências (-20,2%).  Estupros e latrocínios mantiveram-se estáveis na capital.

Apesar do recuo, nos últimos meses, da quase totalidade das modalidades criminais em Aparecida de Goiânia, os estupros vinham preocupando as autoridades, por ser o único que mantinha estável ou com oscilação positiva. Com a redução de oito para dois casos de estupros no mês passado, com queda de 75% nessa natureza, o município localizado na região metropolitana consegue fechar com resultado positivo em onze das 12 modalidades de crimes considerados como de alta prioridade.

Na comparação entre os meses de janeiro de 2017 e 2016, os homicídios recuaram 29,7% na cidade, enquanto as tentativas de homicídios cederam em 38,9%. Os roubos a transeuntes assim como os roubos de veículos apresentaram declínio de 34%. Os roubos em residências retrocederam 7,84% e os roubos em comércios regrediram 1,33%. Também apresentaram queda: furto de veículos (-36,3%), furtos em comércios (-39,8%), furtos em residências (-6,6%) e furtos a transeuntes (-12,5%). Foi registrado apenas um caso de latrocínio em janeiro deste ano, mesmo número do ano passado.

  Roubos a residências despencam  

Além dos homicídios que apresentaram em janeiro redução de 7,1%, em Anápolis outros oito tipos de crimes divulgados apresentaram altos índices de queda. Os latrocínios caíram 100%, ou seja, não houve ocorrências no período. Roubos a transeuntes (-32,8%), roubos de veículos (-27%), roubos em comércios (-67,7%), roubos a residências (-71,4%), furtos de veículos (-52,7%), e furtos a transeuntes (-41,2%).

 Apenas as tentativas de homicídios tiveram alta de 8,33% e os furtos em comércios, 3,7%. Mas os furtos em residências cresceram 77,9%. As estatísticas de janeiro da SSPAP mostram que, no Entorno do Distrito Federal, houve redução em nove de 12 modalidades criminais pesquisadas. Os estupros recuaram 33,3% e as tentativas de homicídios, 38,6%. Houve recuo em todas as naturezas de roubos: a residência (-49,5%), de veículo (-42,9%), em comércio (-38,5%) e a transeunte (-41,3%).

O levantamento mostra que existiu, também, diminuição de 19,2% nos furtos de veículos, de 25,8% nos furtos em comércios e de 41,3% nos furtos a transeuntes, na região. Nessa categoria, apenas os furtos em residências apresentaram oscilação positiva de 5,2%. Edson Costa esclarece que neste ano haverá ações específicas para os 20 municípios que concentram 89,75% de toda incidência de homicídios, tentativas de homicídios, latrocínio, roubos e estupro no estado. “Existe planejamento para a realização de ações integradas entre as forças de segurança pública com o intuito de reduzir, ainda mais, os indicadores de criminalidade”, conclui.




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: