Presidente Nacional do PSDB defende Marconi Perillo

 

O deputado federal Sergio Guerra (PSDB-PE), presidente nacional do PSDB, manifestou sua indignação e revolta com o relatório da CPMI do Cachoeira assinado pelo colega Odair Cunha (PT).

Sergio Guerra lamentou profundamente que a CPI do Cachoeira tenha tomado um rumo incoerente e sinuoso, cujo o resultado é a não investigação. Guerra diz que se houve alguma investigação ainda que simplória, foi porque a imprensa brasileira deu sua parcela de colaboração.

O presidente do PSDB nacional também saiu em defesa do procurador geral da república, Roberto Gurgel, um outro alvo de Odair Cunha e do PT no relatório da CPMI. “Já as iniciativas contra o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, são retaliações puras e simples. O desfecho da CPI compromete a imagem do Congresso e amplia a percepção de que o Legislativo não agiu de maneira competente e republicana.” Destacou, Sergio Guerra.

Quanto ao governador de Goiás, Marconi Perillo, Sergio Guerra afirmou que este tem sido perseguido pelos governistas da CPMI desde o princípio e de modo escandaloso, assim como o PSDB. “O relatório final da CPI é uma colcha de retalhos na qual fica reproduzida uma ação deliberada contra o PSDB e o governador Marconi Perillo.” Assegurou, Guerra.

Por fim, o presidente do PSDB resumiu o que é a CPMI do Cachoeira na sua opinião: “O documento da CPI protege os verdadeiros envolvidos no escândalo, o contraventor Carlos Cachoeira e as obras da Delta pelo Brasil afora.”




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: