Parabéns Goiânia, 81 anos de história e desenvolvimento

Parabens-Goiania

Hoje com uma população de mais de 1,4 mil habitantes a capital goiana comemora nessa sexta-feira (24/10), 81 anos de muita história, lutas, conquistas e desenvolvimento.

A história de Goiânia começa com as primeiras ideias de mudança da Capital em 1753, proposta pelo, então governador da Província de Goiás, Dom Marcos de Noronha, que ambicionava transferir a capital de Vila Boa para a atual Pirenópolis.

Em 1830, o Marechal de Campo Miguel Lino de Morais, segundo governador de Goiás Império, propôs a mudança da Capital para a região do Tocantins, próximo de Niquelândia. A Capital de Goiás, no início do século XIX, convivia com a estagnação econômica, provocada pelo término do ciclo do ouro na região. 

Outro governador da província de Goiás, José Vieira Couto de Magalhães, retoma o assunto em 1863, exposto em seu livro, Primeira Viagem ao Rio Araguaia. “Temos decaído desde que a indústria do ouro desapareceu. Ora, a situação de Goiás era aurífera. Hoje, porém, está demonstrado que a criação do gado e agricultura vale mais do que quanta mina de ouro há. Continuar a capital aqui, é condenar-nos a morrer de inanição, assim como morreu a indústria que indicou a escolha deste lugar”.

A discussão sobre a necessidade de mudança da capital prosseguiu. A constituição do Estado de 1891, inclusive sua reforma de 1898 e a de 1918, previa taxativamente a transferência da sede do governo, havendo disposto esta última em seu Artigo 5º: “A cidade de Goiás continuará a ser a capital do estado, enquanto outra coisa não liberar o Congresso”. Mas foi somente com o advento da revolução de 30, em 1933, que o interventor Federal, Pedro Ludovico Teixeira, tomou providências a respeito da edificação da cidade, tornando realidade um sonho que já durava 180 anos.

O objetivo político Pedro Ludovico Teixeira seguiu em conformidade com a Marcha para o Oeste, movimento criado pelo governo de Getúlio Vargas para acelerar o progresso e a ocupação do Centro-Oeste incentivando as pessoas a migrarem para o centro do país, onde havia muitas terras desocupadas. A implantação de tal projeto só seria possível com a garantia de uma infraestrutura básica  ligando o Centro-Oeste ao Sul do País. As medidas adotadas pelo interventor foram: a mudança da capital, construção de estradas internas e a reforma agrária.

Criou-se, em 20 de dezembro de 1932, uma comissão encarregada de escolher o local no qual seria construída a nova capital. O relatório da comissão apontou um sítio nas proximidades do povoado de Campinas, local do atual bairro de Campinas, como lugar ideal para a edificação da futura capital.

Em 6 de julho do ano seguinte, Pedro Ludovico baixou um decreto, encarregando o urbanista, Atílio Corrêia Lima, da elaboração do projeto da nova capital. Outro urbanista, Armando de Godói, formado na Suíça e na França de onde acabara de voltar, reformula o antigo projeto, inserindo o parcelamento do Setor Oeste e fortes mudanças no arruamento do Setor Sul.

Em 1935, Armando assina o plano diretor da cidade. A pedra fundamental da cidade de Goiânia foi lançada em 24 de outubro de 1933 por Pedro Ludovico Teixeira, como homenagem aos 3 anos do início da Revolução de 1930, em pleno altiplano, onde se encontra atualmente o Palácio das Esmeraldas, na Praça Cívica. O local foi determinado pelo urbanista Atílio Corrêia Lima.

Foto: Divulgação\ Goiânia na década de 30 e Goiânia atualmente

Foto: Divulgação\ Goiânia na década de 30 e Goiânia atualmente

 

Goiânia Atual

A cidade de Goiânia, embora com uma história recente, oferece uma diversidade de atrativos que encantam seus moradores e visitantes. Além do patrimônio histórico (Cidade de Goiás, ex-capital) , também é referência na área de saúde. A capital goiana é polo de turismo de negócios e eventos e está entre as cinco cidades brasileiras com menor custo de vida e entre as sete com melhor qualidade de vida. A cidade se destaca também por ter um dos maiores índices de área verde por habitantes (94 m²), perdendo apenas para Edmonton, no Canadá, com 100 m².

Para bem receber os turistas a cidade tem uma infraestrutura com boa rede hoteleira, restaurantes, bares, museus, teatros, boates, parques, cinemas, centros de compras, o Centro de Convenções de Goiânia, um dos mais modernos e completos da América Latina, e, ainda, o Centro Cultural Oscar Niemeyer, palco de eventos nacionais e internacionais.

Revitalização

Nos últimos anos, o Ministério do Turismo investiu mais de R$ 25,6 milhões em obras de revitalização, sinalização, infraestrutura turística na capital goiana, as mais recentes, assinadas em 2013, tratam de sinalização turística, no valor de R$ 1 milhão.

Foram investidos também R$ 321 mil para elaboração do projeto de pavimentação da estrada Parque da Serra dos Pirineus e outros R$ 292 mil para obras de reforma da Vila Ambiental do Parque Areião. Os dois últimos ainda em processo de análise.

Programação 

Dia 24 de outubro 

Concerto com Orquestra e Coro Sinfônicos de Goiânia e Banda Marcial

Local: Parque Campininha das Flores, Avenida Padre Wendel ou Avenida 24 de Outubro, Campinas

Horário: 19h

Entrada franca

Desfile Cívico-Militar

Local: Avenida 24 de Outubro, Campinas

Horário: 9h às 12h

Entrada franca

Exposição de livros sobre a história de Goiânia e mural de fotografias

Local: Biblioteca Municipal Cora Coralina (Avenida 24 de Outubro, Campinas) e Biblioteca Municipal Marieta Telles (Praça Universitária)

Horário: 8h às 18h

Entrada franca

Dia 25 de outubro

Literatura no Eixo

Ponto de encontro: Grande Hotel Avenida Goiás, esquina com Rua 3, Setor Central

Horário: 15h

Entrada franca

Música na Sacada – com Allex Flores, Yohann Rodriguez e Arnaldo Pacheco

Local: Grande Hotel, Avenida Goiás, esquina com Rua 3, Setor Central

Entrada franca

Projeto Sons de Mercado

Show com Henrique de Oliveira

Local: Mercado Popular da Rua 74

Horário: 19h

Entrada franca

De 27 a 31 de outubro

Goiânia em Cena em pauta

Local: Centro Municipal de Cultura Goiânia Ouro

Horário: das 9h às 12h




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: