Morre rapaz atropelado em SC por herdeiro de grupo de mídia

O vendedor Sérgio Teixeira da Luz, 23, atropelado na saída de uma festa em Florianópolis no último domingo (6), morreu na madrugada desta sexta-feira (11). De acordo com o delegado Otávio César Lima, da Delegacia de Polícia Civil de Canasvieiras, Luz foi atingido pelo Audi A3 dirigido por Sérgio Orlandini Sirotsky, 21, que segundo a polícia fugiu do local sem prestar socorro.

Sirotsky é um dos herdeiros do grupo RBS, que possui veículos de comunicação no Rio Grande do Sul, entre eles, a RBS TV, afiliada da Rede Globo no Estado. Luz estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Celso Ramos. Ele chegou a ser operado, mas teve ferimentos irreversíveis no pulmão, segundo relato de parentes à polícia.

O delegado César Lima informou nesta sexta (11) que, com a morte de Luz, Sirotsky deverá responder a processo por omissão de socorro, lesão corporal e homicídio.

O policial disse que está ouvindo testemunhas e esperando resultados de exames toxicológico para ver em qual tipo de homicídio o atropelador será enquadrado. “Uma vez comprovado que estava [o motorista] sob efeito de álcool ou droga análoga, ou que estava participando de racha, isso implica em intenção. Aí estamos no dolo eventual [quando se assume o risco de matar]”, disse o policial. Se condenado, a pena pode chegar a 12 anos de cadeia.

ACIDENTE

O acidente aconteceu por volta de 5h15 de domingo (6), em Jurerê, um dos mais bairros com mais casas noturas da capital catarinense.

De acordo com a Polícia Civil, Luz e dois amigos haviam participado de uma festa na região. Eles caminhavam pelo acostamento da SC-401 para chegar ao ponto de ônibus quando foram atropelados. Os dois amigos se feriram, mas já receberam alta médica.

Em depoimentos à Polícia Civil na quinta-feira (10), um dos amigos disse que “não viu nada” do acidente. Instantes depois do primeiro atropelamento, houve um segundo atropelamento no mesmo local.

O atropelado foi um jovem que prestava socorro às três vítimas do primeiro acidente. O rapaz passa bem, segundo os investigadores responsáveis pelo caso.

O motorista que o atropelou, Eduardo Rios, 25, também fugiu sem prestar socorro às vítimas, segundo o comando da Polícia Civil. Mas foi detido pela Polícia Militar na Beira Mar Norte, uma avenida sofisticada da cidade, a cerca de 30 km do local do acidente.

De acordo com o comando da Polícia Civil, Rios foi autuado por omissão de socorro, pagou fiança e foi liberado após audiência de custódia. Ele vai responder ao processo em liberdade.

ESTUPRO

Sérgio Orlandini Sirotsky não foi preso após o acidente. Ele se apresentou à Polícia Civil na quarta-feira (9). No depoimento, declarou que estava em uma festa em Jurerê, que não bebeu álcool, que “teve um branco” e que não se lembra do que aconteceu.

Esta não é a primeira vez que Sirotsky se envolve em caso de polícia em Florianópolis. Em 2010, aos 14 anos de idade, ele e dois amigos adolescentes foram denunciados pelo estupro de uma garota da mesma faixa etária.

O caso teve repercussão em todo o país pelo crime em si, pelo fato de um dos envolvidos ser filho de uma policial da cidade e porque o assunto não foi destacado nos veículos de comunicação da família.

O estupro foi denunciado por um blogueiro da capital catarinense. Segundo relato dele à época, a garota foi embebedada e estuprada em um imóvel da família Sirotsky, na rua Bocaiúva, um dos endereços mais nobres de Florianópolis. O blogueiro morreu em 2011. A perícia constatou suicídio. Mas até hoje parentes e amigos acreditam em assassinato.

Nos jornais, rádios e na emissora de TV que a RBS tinha em Santa Catarina naquele ano, o assunto foi noticiado sem nomes. Segundo a empresa justificou à época, isso ocorreu em respeito ao ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

OUTRO LADO

O empresário Sérgio Sirotsky, pai do motorista, divulgou nota nesta sexta-feira (11) dizendo que “não há o que amenize e alivie a imensa dor dessa perda”. “Que a família encontre forças para enfrentar esta ausência. Estamos todos de luto e sofrendo com os familiares e amigos de Sérgio Teixeira da Luz”, diz o texto.

Na terça-feira (8), o empresário divulgou uma primeira nota dizendo que lamentava o acidente. “Lamento profundamente o acidente ocorrido no domingo, em Jurerê, envolvendo veículo conduzido por meu filho Sérgio Orlandini Sirotsky. Como pai, estou muito triste e peço desculpas aos jovens atingidos e a seus familiares.”

“Está sendo muito difícil para nossa família enfrentar este momento, que nenhum pai gostaria de viver. Meu filho tem 21 anos, e é responsável por seus atos. Estamos tomando providências para tratar de nosso filho, que também precisa de ajuda”, diz o texto.

A empresa de assessoria de imprensa responsável pelo caso informou que nem a família nem a defesa do rapaz comentariam o caso de estupro. Com informações da Folhapress.

Fonte: Notícias ao Minuto




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: