Marido de Gisele Bündchen, Tom Brady, lidera vitória histórica e se torna lenda no Super Bowl americano

Com sete participações no Super Bowl, a final do futebol americano nos Estados Unidos, Tom Brady entrou para a história ao conquistar seu quinto título e levar sua equipe para uma virada espetacular. O New England Patriots perdia por 28 a 3 para o Atlanta Falcons, mas ele conseguiu armar as jogadas para chegar ao empate no tempo normal. Na prorrogação, fez a diferença e decretou a vitória dos Patriots por 34 a 28.

Aos 39 anos, o marido de Gisele Bündchen foi vitorioso em sua sétima participação no grande evento. Agora ele acumula cinco títulos e apenas duas derrotas. E entrou para a história por fazer um time ser campeão após tirar a maior diferença no Super Bowl. Antes disso, a maior desvantagem de um campeão havia sido dez pontos.

Os torcedores no estádio NRG, em Houston, viram um duelo espetacular e recheado de dramas. Pela primeira vez houve prorrogação no Super Bowl e o resultado deixou os Falcons na fila, pois a franquia chegou pela segunda vez à decisão e bateu na trave novamente – na outra participação, na temporada de 1998, perderam para o Denver Broncos.

Fora do campo de jogo, o espetáculo foi impecável. Havia o temos de protestos contra o governo Trump, o que não se confirmou, e no intervalo da partida Lady Gaga promoveu um show em um palco montado no gramado. Em todas as edições, o Super Bowl procura levar artistas conhecidos internacionalmente e só para se ter uma ideia da grandeza do evento, empresas pagam cerca de US$ 5 milhões (R$ 15,6 milhões) por 30 segundos de exposição de suas marcas.

No Super Bowl, tudo é pensado para surpreender, desde o hino nacional do EUA cantado por Luke Bryan até a presença do ex-presidente norte-americano George W. Bush pai no campo de jogo, ao lado da mulher Barbara, para jogar a moeda que definiria quem teria o direito de escolha.

Nem nos seus piores pesadelos Brady poderia imaginar que a equipe adversária teria tanta facilidade para pontuar e chegar à metade do duelo com uma ótima vantagem. Só que no final o sonho foi digno de um roteiro de Hollywood, com o veterano ditando o ritmo da partida e acuando seu adversário.

Quando a ação começou, as duas defesas se mostraram firmes e o primeiro quarto terminou com o placar em branco. Mas no segundo quarto o Atlanta deslanchou, marcando três touchdowns, com Devonta Freeman, Austin Hooper e Robert Alford, este último após interceptar um lançamento de Brady e correr com liberdade para pontuar.

Após o intervalo, Brady acertou a mão e empurrou sua equipe. Os Falcons marcaram mais um touchdown com Tevin Coleman e a resposta dos Patriots veio com James White, em bela jogada de Brady. No último quarto, Stephen Gostkowski acertou um chute de 33 jardas e diminuiu a diferença para 16 pontos. Aí foi a vez de Amendola marcar e James White fazer a conversão de dois pontos. No finalzinho, White fez um touchdown e colocou fogo no jogo. Faltando 57 segundos, os Patriots empataram e levaram o confronto para a prorrogação.

No tempo extra, Brady jogou como um gigante. A cada lançamento preciso, sua equipe vibrava e Bündchen aplaudia nos camarotes. O público ia ao delírio e o Atlanta parecia atordoado. E não demorou para os Patriots marcarem e colocarem o nome de Brady na história.

Fonte: O Estadão




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: