Marconi abre as portas de Goiás para novos investimentos espanhóis‏

Governador falou aos empresários espanhóis que Goiás comporta excelente nicho para novos empreendimentos

Presidente da Câmara de Comércio Brasil Espanha diz que Brasil é um país estratégico e que Goiás tem iniciativas interessantes para se investir

Marconi convidou e os empresários espanhóis aceitaram fazer um seminário em Goiás no início do ano que vem

 

O governador Marconi Perillo participou hoje pela manhã, em Madri, de um seminário de negócios na sede Confederação Espanhola de Organizações Empresariais (CEOE), similar aqui no Brasil da Confederação Nacional da Indústria. Com o tema ‘Encontro de Oportunidades de Negócios e de Investimentos em Goiás’, Marconi falou, para aproximadamente 70 empresários, sobre as possibilidades de negócios no Estado, mostrando os potenciais nichos de investimentos e as condições que são oferecidas para que os empreendimentos se instalem, se desenvolvam e se consolidem.

Presidente da Câmara de Comércio Brasil Espanha, José Gasset Loring, destacou as potencialidades de Goiás, o ousado programa de incentivos fiscais e o trabalho de Marconi para atrair empresas, investimentos e também a transformação experimentada por Goiás nos últimos anos. “Para a Espanha, o Brasil é um país estratégico. Tem mais de 25 anos que as empresas espanholas têm apostado no Brasil, independente de crises ou da conjuntura econômica. Elas têm um compromisso estratégico, independente de situações, e estão comprometidas com esse país”, destacou.

“O Estado de Goiás criou muitas vitrines espetaculares e apresenta inúmeras oportunidades, pois é uma região eficiente na formação, com muitos cursos, de competência na administração do Estado, de projetos novos, com um componente inovador”, afirmou Gasset.

Afirmou ainda que não apenas nos setores tradicionais, como agricultura, indústrias e de serviços, “mas têm grandes áreas que podemos aproveitar entre empresas espanholas que têm uma capacidade muito parecida e que podem servir muito bem para explorar novos projetos no Estado. E queremos isso. É um Estado que tem muito potencial e que apresenta muitas oportunidades diante do momento atual do Brasil”, observou.

Vice-presidente da Comissão de Relações Internacionais, Pedro Luis Fernández Pérez, disse que o Brasil é um país muito grande, com oportunidades e uma capacidade de produtos naturais tremenda, grande população e fortes relações internacionais. “E o Estado de Goiás é muito grande, com muitos programas interessantes. Muitas companhias espanholas têm uma proposta de valor muito interessante para este Estado, por experiência, expertise. Nossas companhias com foco cujos produtos e serviços têm muito interesse neste Estado” acrescentou.

Para ele, o Estado brinda quem quer empreender  também por estar dentro de um continente rico de um futuro: “Te brinda com a possibilidade de muitos recursos naturais, de grande área, de mercado, de comércio. É muito interessante. Vamos nos irmanar com o governador, um grande gestor, que se anima em buscar fora do Brasil mais investimentos, que se destaca no Brasil por ter o desafio de crescer acima da média. Tem setores que podem ser o futuro do País, como o agrícola e polos inovadores, como o farmacêutico e polos tecnológicos, como o automotivo. Uma combinação forte com o Porto Seco. Isso aumenta muito os nossos interesses”, afirmou.

Embaixador do Brasil na Espanha, Antônio Simões informou que o governador Marconi Perillo é um dos políticos mais destacados, influentes e atuantes do Brasil. Ele ressaltou que Marconi está em seu quarto mandato e destacou que sua exitosa carreira coincide com o ciclo de prosperidade e expressivo crescimento econômico em Goiás, fruto do trabalho e persistência do governador.  “Ele veio mostrar o que Goiás tem a oferecer e o que pode fazer junto com a Espanha. Uma ação extremamente importante, demonstrada hoje com muitos empresários aqui querendo fazer negócios e querendo estar mais presente em Goiás e no Brasil”, frisou.

Simões ressaltou que Goiás impressiona muito pela economia diversificada: “Tem uma economia muito forte na parte agrícola, muito forte na parte mineral, mas hoje também é um Estado que se industrializou. E isso abre uma série de perspectivas, inclusive em termos de atuação na área de logística, muito necessária”.

Em sua apresentação, o governador Marconi Perillo apresentou vídeo e destacou as potencialidades de Goiás. Apontou índices de crescimento do Estado em várias áreas, como segurança pública, programas sociais, formação de mão de obra, infraestrutura e também o programa Inova Goiás. Otimista e confiante, Marconi disse aos empresários locais que é capaz de apostar que a crise nacional é passageira e que logo o Brasil voltará a crescer. “Goiás é o melhor lugar para se investir, pois tem um povo hospitaleiro, belezas naturais, governo eficiente, infraestrutura necessária e uma economia dinâmica e em evolução”, afirmou. Ao encerrar sua palestra, Marconi convidou e os executivos espanhóis aceitaram ir a Goiás para conhecer de perto as potencialidades do Estado e realizar um seminário no início de 2016.

Parceria

A Espanha é um dos principais parceiros comerciais de Goiás na União Europeia. No ano passado, os produtores goianos venderam para os espanhóis 150  milhões de dólares e compraram 56,3 milhões de dólares, totalizando um saldo positivo para o Estado de 93,7  milhões de dólares, conforme dados do Ministério do Desenvolvimento da Indústria e Comércio (Mdic).

O sulfeto de minério de cobre responde por mais de 80% das exportações de Goiás para a Espanha. Apenas em 2014, a commodity respondeu por 97 milhões de dólares. Em seguida aparece a soja (14,2 milhões de dólares) e o bagaço da soja (7,1 milhões dólares). Na importação, os produtores goianos compram, basicamente, fungicidas (12,3 milhões de dólares), maionese (4,6 milhões dólares) e máquinas de empacotar (3,7 milhões de dólares).

A Espanha tem a 5ª maior economia da União Europeia e a 14ª do mundo. O PIB do país é de 1,4 trilhão dólares. Desde a crise de 2008, os espanhóis sofrem com o elevado índice de desemprego, grande dívida pública e baixo desempenho da economia. As reformas econômicas dos últimos anos, baseada na austeridade,  começaram a surtir efeito desde o ano passado, quando a economia espanhola teve um crescimento de 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB). A previsão para este ano é de crescimento de 3% do PIB.

Foto/Divulgação

Foto/Divulgação

 




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: