FIM DO MISTÉRIO: Bruno diz que Eliza Samudio foi esquartejada e jogada aos cães.

Captura de tela 2013-03-06 às 16.57.13

 

O goleiro Bruno Fernandes de Souza culpou seu ex-assessor Luiz Henrique Romão, o Macarrão, pela morte de sua ex-amante Eliza Samudio, em junho de 2010. O jogador é acusado de envolvimento na morte dela e presta depoimento neste terceiro dia de julgamento, no Fórum de Contagem (MG).

Aos prantos, Bruno disse que, no dia 10, Macarrão e Jorge Jorge Luiz Rosa, primo do jogador, saíram do sítio em que estavam para levar Eliza para pegar táxi com R$ 30 mil, para ir a São Paulo resolver problemas. “Acreditava que seria aquilo”, disse.

Afirmou que horas depois, ambos voltaram com a criança no colo, filho de Eliza com o atleta. “Estranhei que a criança estava na mão deles, chorando”. Jorge demonstrava assustado.

Daí, teria questionado: “Poxa, cadê Eliza?. Pela amor de Deus o que vocês fizeram com ela?” Foi quando seu ex-assessor teria dito. “Resolvi o problema que tanto te atormentava”.

Bruno disse que ouviu de Jorge a versão contada pelo então menor à polícia. “Macarrão ajudou a matar Eliza”, teria dito o Jorge. Que Eliza foi levada para Vespasiano e foi entregue a uma pessoa chamada Zezé. Ele teria sufocado a ex-amante de Bruno e Macarrão teria chutado a mulher já caída. “A pessoa tinha esquartejado e teria jogado o corpo aos cachorros”, disse.

O goleiro disse, então, que tentou tirar satisfação com Macarrão, mas ele negava o que Jorge contou. Disse que o ex-assessor repetia que Jorge estava louco. “O que você fez, Macarrão? Você acabou com minha vida”, disse Burno.

Bruno disse ter ficado desesperado. A juíza perguntou quanto tempo durou seu choro e desespero. “Uma hora e meia desesperado.” Apesar do desesperado ao saber da morte de Eliza, ele contou que no outro dia foi para uma festa na casa do também jogador Vagner Love.

 

SENTIMENTO DE CULPA

Logo no início do depoimento, a juíza Marixa Rogrigues perguntou a Bruno se a denúncia contra ele era verdadeira. “Como mandante dos fatos eu nego, mas de certa forma eu me sinto culpado”, afirmou.

Chorando, Bruno pediu para contar a sua história sobre o caso. Ele começou a relatar, então, o período em que conheceu Eliza. Disse que tiveram uma única relação sexual, que resultou na gravidez da ex-amante. Bruno disse que ele e Eliza brigavam muito e que ela sempre exigia dinheiro.

Em novembro do ano passado, Macarrão confessou o crime e jogou a responsabilidade para o seu ex-patrão, acusando-o de ser o mandante. Segundo os advogados de defesa, Bruno não vai responder aos questionamentos da Promotoria no interrogatório de hoje.

 

 

Fonte: Folha de São Paulo




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: