Energia gerada a partir do lixo pode abastecer 1,5 milhão de brasileiros

lixao

Um grande potencial energético pode ser encontrado no lixo. Somente os aterros sanitários brasileiros têm capacidade para gerar 280 megawatts de energia limpa a partir do aproveitamento do metano, gás expelido durante o processo de decomposição do lixo.

Conforme informações divulgadas no “Atlas Brasileiro de Emissões de GEE e Potencial Energético na Destinação de Resíduos Sólidos”, lançado na última quinta-feira (28) pela Abrelpe (Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), a eletricidade proveniente dos aterros brasileiros seria capaz de fornecer energia para 1,5 milhão de pessoas.

O sistema de aproveitamento do biogás para fins energéticos já é aplicada no Brasil, mas o processo abrange uma quantidade ainda muito pequena dos aterros que estão espalhados pelo país. Para que este potencial seja realmente aproveitado é preciso contar com investimento médio de R$ 1 bilhão, conforme informado por Carlos Silva Filho, diretor executivo da Abrelpe.

O documento produzido pela organização em parceria com instituições internacionais tem como intuito direcionar o Brasil para novos ramos de investimentos em energia renovável. O diretor ainda explicou que a proposta é estimular a produção de energia através do biogás da mesma forma que acontece com os incentivos à energia eólica, por exemplo.

A prova de que o Brasil é um país com grande potencial neste segmento é quantidade de lixo gerada anualmente. Em 2011, a Abrelpe identificou uma produção diária de 198 mil toneladas de resíduos descartados. No entanto, 11% desta produção não foram ao menos coletadas e outros 41% tiveram destinação inadequada.

Um questionamento comum quando se fala em produção energética a partir do lixo é se ela é conflitante com a reciclagem. Esse não é um problema que deve impedir os investimentos em biogás, pois a eficiência da produção e da decomposição aumenta conforme aumenta-se também a quantidade de resíduos orgânicos. Desta forma, o ideal para manter uma produção em alto nível é que os materiais recicláveis sejam previamente separados e destinados à reciclagem antes de irem para os lixões ou aterros sanitários. (Do CicloVivo)




Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: